#WebSérie: A vida de Jane - Parte 1/3

12:30


Olá, princesas lindas do Pai!

Bom, não escrevo muito histórias dessa maneira, mas tudo tem sua primeira vez, não é?!

Essa é uma linda história de uma jovem que a usaremos como base de cura para um mal que atinge a maioria das jovens hoje em dia, a falta de autoaceitação e autoestima. Aqui, nas entrelinhas, encontraremos uma Palavra vinda do coração de Deus e a cura que muitos procuram. Vamos lá!

O INÍCIO

" Sempre fui uma criança alegre, a alegria coloria a minha vida. Jamais me preocupei com o que iria vestir ou o que as pessoas pensariam de mim, sinceramente isto nunca passou pela minha mente. Até eu chegar numa certa idade onde a aparência era o que mais importava."

Primeiros sintomas: Se sentir diferente das outras meninas


Treze anos. A idade em que as coisas começam a mudar. Quase uma hora no banheiro, a mãe assustada já batia na porta - Filha, está tudo bem? Está passando mal?!
 - Não, mamãe, eu estou bem! Gritou. Na verdade ela se encarava no espelho. Olhava fixo em seus olhos. O que procurava? Defeitos?! Sim.

Ela não gostava do que via no espelho, era tão diferente das outras meninas que costumava ver.
Começou a notar os detalhes olhava seus olhos, boca, nariz, orelhas, o pé.. olhava o seu cabelo e o pior, o seu corpo.
Algo em sua mente começou a sussurrar em seus ouvidos (uma voz estranha, talvez, mas que nossa personagem confundiu com a sua própria mente).

- Olha seus olhos! Olha seu nariz! Seu cabelo é um horror! E seu corpo? Nem se fala! Você não é diferente, você é FEIA! 
É claro, queridas leitoras, que esta voz, a qual nos referimos, não seria uma voz qualquer e muito menos a voz de nossa querida personagem, que a partir deste momento a chamaremos de Jane (Nome fictício, lembrando que é uma história fictícia, mas nem tanto... pois narra histórias que realmente são reais).
Então, esta voz seria a voz do diabo, inimigo de Deus e nosso arqui-inimigo. 

Jane não sabia, mas naquele momento o inimigo começou a persuadi-la e torcia para ela cair em uma de suas ciladas, a falta de autoaceitação e depressão.

Ele sabia que a Jane não era uma garota comum. Ela era escolhida por Deus! O diabo sabia de todos os planos que Deus sonhou para a vida dela. 

Então começou uma tentativa (inútil) de impedir que esses planos se concretizassem na vida da Jane.

Igualmente a mim e a você, leitora. Deus tem um plano para a minha e sua vida, mas o diabo, nosso inimigo, tenta de tudo para nos impedir de vivê-los.

Continuemos com nossa história...
Jane ficou com aquelas palavras sussurrando em sua mente. Começou a se sentir uma 'sem valor', uma garota imperfeita, a mais sem valor de todas.

Passou a buscar soluções para encobrir seus defeitos, seus mais árduos defeitos. Soltou o cabelo para encobrir suas orelhas que considerava desproporcionais. Começou a imitar as meninas do colégio, o jeito de andar, falar e passou a usar MAQUIAGEM.

Ahh agora sim! pensou Jane.

Nunca havia se maquiado, afinal nunca teve a curiosidade de inspecionar o que a mãe guardava em sua pequena caixinha no fundo do armário. Começou a se maquiar como as outras meninas. Mas nem sempre conseguia o resultado que tanto desejava.

Seus defeitos ainda a surtavam, a insatisfação rondava seu interior. É claro, a maquiagem poderia apagar suas imperfeições exteriores, mas as interiores, esta jamais conseguiria.
Ela não sabia, mas o seu defeito não estava nos seus traços, e sim no profundo de seu coração.

Numa certa manhã, chegou ao seu closet e decidiu mudar. A maquiagem poderia ter falhado, mas a mudança no estilo não falharia. Jane, que se vestia como uma menina de treze anos, isso o que ela achava. Porém, a opinião da sua mãe era diferente: sim, ela se vestia como um menino!

Detestava saias e vestidos. Só usava quando tinha alguma festa, pois sua mãe insistia para que ela se arrumasse mais como uma mocinha. Começou a explorar seu armário, procurava algo diferente, algo que não estava de acordo com o seu habitual diário. A procura foi desesperadora e desanimadora.

- Nadaaaaaaaa?! Como posso não ter nada para se vestir?!

É, leitoras... acho que ela não reparou na réplica do Monte Everest que se formou em cima de sua cama. 

 - Como posso sentir melhor comigo mesma?! Como? Como??!! Já sei, eu preciso de roupas novas! 

Não esperou muito, foi direto a sua mãe. Que depois de tanta insistência e tantos argumentos, cedeu. Foi correndo (literalmente) ao Shopping. Comprou de tudo o que antes não suportava nem experimentar. ela estava decidida a mudar mesmo!

Mas é claro que teve um limite imposto por sua mãe, se não aquela seria a sua última ida ao Shopping.

No final de toda essa correria deitou em sua cama, sentia uma alegria enorme, uma satisfação. Porém esta não durou muito, era apenas passageira. Uma semana depois a dor voltou e a infelicidade também. Não entendia o porquê.

"Pois que o meu espírito se angustia em mim; e o meu coração em mim está desolado. Lembro-me dos dias antigos; considero todos os teus feitos; medito na obra das tuas mãos. Estendo para ti as minhas mãos; a minha alma tem sede de ti, como terra sedenta." Sl 143:4-6
"Jesus respondeu, e disse-lhe: Qualquer que beber desta água tornará a ter sede; Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna. " Jo 4:13-14


AUTORA: Claudiane Almeida


Nós te recomendamos essas leituras

0 comentários