Valeu a pena Esperar ♥ Parte 1

00:00

Reprodução: acervo pessoal

Ah, junho! O mês do amor. Inspirada nesse mês mais que especial resolvi trazer uma série, quer dizer, um testemunho. Ou melhor ainda, um testemunho que virou uma minissérie. Está vendo essa moça da foto aí em cima? Pois é, a história é dela mesma. Essa moça se chama Haya e ela escreveu com todo o carinho a sua história de amor e enviou para nosso E-mail. E todo sábado vamos conhecer um pedacinho da linda história da querida Haya ♥

Parte 1

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Rm 12.2

"Aos 19 anos eu já tinha meu carro e meu emprego. Acredito que sempre fui mais madura que as outras garotas da minha idade, mas não em todos os aspectos. Aos 19 anos eu ainda era BV (expressão da época para quem nunca havia beijado um garoto, nem sei se ainda falam assim) e não tinha sabedoria e segurança suficiente para considerar isso como uma bênção.

Eu também era taxada como a santinha e a encalhada, até por parentes, uma vez que todas as primas já tinham uma vida sentimental mais ativa. Eu nunca liguei (eu achava até bom, sabia que estava fazendo a vontade de Deus) e desejava de todo o meu coração esperar em Deus pelo meu príncipe, pois eu sabia que tudo que vem dEle é perfeito e não tem como dar errado. Eu sabia que Deus me amava e tinha o melhor guardadinho para mim.

Mas como eu disse, não fui segura o suficiente para permanecer assim. Meus pensamentos não estavam plenamente renovados com a palavra de Deus e a cultura deste século fez parte da minha mente. Eu ficava imaginando como seria bom ter um namorado e na primeira vez em que fui pedida em namoro, sem pensar direito, eu aceitei.

Nosso primeiro encontro foi no cinema. Ele pediu para eu encontrar com ele no shopping e já ao final do filme e tentou me beijar, fiquei tão sem graça... No shopping mesmo ele me pediu em namoro e me tascou um beijo. Pronto, eu não era mais BV. Não foi nada como eu imaginei, mas eu podia dizer “estou namorando!”. Meu ego estava massageado, mas meu espírito gritava em silêncio.

Eu quis fazer uma prova com Deus, saber se era mesmo esse menino que ele tinha para mim: “Se ele me pedir em namoro vou dizer que temos que orar por um tempo primeiro. Se ele concordar, é ele!”. Assim eu fiz e a resposta do menino ele foi: “Não precisa, eu já sei que é você!”. E adivinhe, eu não acredito em como fui tão ignorante, mas eu pensei: “Mas ele é cristão, não tem como não ser de Deus!”.

No início flores, passeios, presentes e mensagens. No início. Depois de um tempo eu tinha que lembra-lo de responder minhas mensagens. Ir até a minha casa se tornou um fardo, era uns 15 minutos de carro e eu que ia até a casa dele para vê-lo, é mole?! Por vezes ele passava um dia inteiro sem dar sinal de vida e parou de lembrar nossas datas. Essas coisinhas me machucavam. Eu não me sentia mais especial e valorizada. Meu coração se encheu de ansiedade e Deus parecia estar tão distante... É que eu havia me distanciado dEle, eu O havia trocado por alguém que não me amava e nem me tratava como uma princesa, como só Ele fazia.

 Haya Albuquerque
{...}

Nós te recomendamos essas leituras

8 comentários