Não seja amigo(a) do ladrão

14:45



Você já foi roubado? Quantas vezes todos os dias criminosos levam bens de pessoas... Bens importantes, especiais, com valor, seja material ou pessoal. Como quando um ladrão entra em uma casa e leva tantas coisas, coisas essas que as vezes aquelas pessoas levaram tempo para conseguir, foram conquistadas com tempo e esforço, às vezes guardaram dinheiro, às vezes nem terminaram de pagar e aquilo que trabalharam para conseguir, é roubado, levado embora. É uma situação realmente triste. Nesse dia, eu gostaria de falar sobre um outro tipo de roubo que acontece, que muitas vezes nem nos damos conta. Você não percebeu isso ainda? Você pode estar sendo roubado frequentemente. Sabe do quê? 

Acontece que um dia todos conhecemos a Deus e a partir desse dia, começamos a caminhar com Ele, viver com Ele. Nessa caminhada com Ele, sem dúvida há crescimento. Nós mudamos, amadurecemos, desenvolvemos um relacionamento e intimidade. E em certo momento, por um deslize, pecamos, fazemos aquilo que desagrada à Deus. O que acontece quando pecamos? Deus não fica bravo com você, nem deixa de te amar ou nada assim. Mas acontece que quando pecamos, há uma separação de uma comunhão entre nós e Espírito de Deus que é Santo e não tem parte com aquilo que é impuro. Nos sentimos estranhos, parece que estamos longes Dele. Você já se sentiu assim? Depois de pecar, as suas orações parecem mais vazias, Deus parece que não te ouve, que não age mais, parece que aquela amizade que tinha com Ele esfriou, parece que você não O sente mais? Não foi isso que aconteceu, foi o pecado que nos roubou a comunhão.

Sabemos que Deus é um Deus de perdão e misericórdia e que não rejeita um coração arrependido. Há uma restauração para essa separação. A boa notícia é que você pode adquirir seus bens de volta, aquilo que levou tempo para que você ganhasse, mas diferente dos seus bens, não por mérito seu, mas que foi concedido à você porque Ele o ama: o seu relacionamento e intimidade com Deus. 

Mas cuidado, mantenha-se alerta! Apesar de o pecado ser um ladrão, muitas pessoas acabam fazendo amizade com o pecado, tornam dele um hábito, não mais um acidente e tem-se mais contato com ele do que com o próprio Deus. É isso que não pode acontecer. Roubos acontecem, são acidentes, uma janela que você deixou aberta, uma porta não tão bem fechada, um objeto que não guardou direito. E por sermos tão falhos, tenho que lhe dizer que eles vão acontecer. Mas que você volte correndo para falar com o Pai, para pedir perdão, confessar que errou e não crie o hábito de receber o ladrão em sua casa, não mais como um intruso. Cuide com os seus hábitos, quem anda o visitando, o que anda entrando e saindo pelas suas portas e janelas, cuide da morada do Espírito Santo. 

Estranho falar isso, por que iriamos querer amizade com quem nos faz mal e nos rouba algo tão precioso que nos e dado de graça e por graça? Infelizmente, muitas vezes podemos cair nesse erro, somos seres humanos tão propensos ao erro, portanto, que venhamos vigiar. Que o roubo seja um acidente, não proposital e rotineiro. Não deixe o pecado roubar o que você tem de mais precioso: a sua comunhão com Deus. Guarde isso como um tesouro pessoal, é o que você tem de mais valor e que foi conquistado pelo próprio Jesus que você tivesse livre acesso ao Pai. E se isso acontecer, saiba que nada pode separar você Dele, corra para Ele, suplique por arrependimento, mudança, peça para que Ele limpe a bagunça que o ladrão deixou na sua casa. Ele te perdoa e é capaz de restaurar o que foi roubado de você. 


"Mas agora que vocês foram libertados do pecado e se tornaram escravos de Deus, o fruto que colhem leva à santidade, e o seu fim é a vida eterna. Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor."
Romanos 6:22-23


Lisa Moraes


Nós te recomendamos essas leituras

0 comentários