Estrangeiros

20:20







Depois de um longo dia de trabalho e estudo tirei meus sapatos e toquei o piso frio. Primeiro pus os dedos, um a um, depois pousando lentamente a planta fui absorvendo a sensação de liberdade que os pés descalços proporcionam. Tomei um demorado banho relaxante e coloquei aquele surrado pijama de algodão, que de tão usado, já possui a forma estrutural do meu corpo, porém com a mesma habilidade de me fazer sentir aconchegada depois de um dia exaustivo. Puxei o edredom e desforrei a cama com menos calma que antes, ansiando por deitar-me naquele ninho convidativo. Afofei os travesseiros e me cobri quase que por completo, deixando os braços livres. Liguei a tv em um canal qualquer, para que finalmente não tivesse que pensar em nada, apenas pudesse esvaziar a mente sem esforço algum. Trocando de canal, algo me prendeu quase que por completo, digo quase pois após alguns minutos de pura observação um sentimento estranho tomou conta de mim, e acabei optando por desligar a televisão.
O programa apresentava cenas da vida, como se estivessem acontecendo de verdade. Nele, os atores representavam situações corriqueiras e suas consequências. Uma mulher da minha idade, vivendo sua vida e acaba morrendo na flor da idade, em um acidente mais comum ainda. Não sei explicar qual o real motivo da minha angústia ao ver algo habitual como este, mas meu peito ficou apertado por um ou dois dias, o que me fez parar tudo e orar. Depois de um tempo refletindo consegui entender o que me angustiou e me afligiu quando pensei sobre a morte: estava APEGADA a vida terrena.
Você já parou pra pensar na sensação que tem ao ouvir falar da morte? E quando te falam: Jesus está voltando? Já parou para analisar o primeiro pensamento, aquele profundo que ninguém alcança? Eu me preocupei, pois como alguém que foi criada em meio ao evangelho e aceitou Jesus bem cedo, não deveria ter tais pensamentos. Como mudar algo tão complexo? O que me intriga é que ao mesmo tempo que anseio pelo céu, o medo e a estranha sensação de falar sobre sair dessa vida causa-me certo desconforto, e até pouco tempo atrás, arrepios.
A verdade é que fomos acostumado a sermos AFEIÇOADOS a esta vida, mas não deveríamos. Em João 17:13-19 Jesus diz:

"Agora vou para ti, mas digo estas coisas enquanto ainda estou no mundo, para que eles tenham a plenitude da minha alegria.
Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, pois eles não são do mundo, como eu também não sou.
Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno.
Eles não são do mundo, como eu também não sou.
Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.
Assim como me enviaste ao mundo, eu os enviei ao mundo.
Em favor deles eu me santifico, para que também eles sejam santificados pela verdade”.

Não somos daqui. Somos como estrangeiros que vivem em terras distantes trabalhando como embaixadores em favor de divulgar seu país de origem, pois aqueles que aceitaram a Cristo são cidadãos do céu, como diz o apóstolo Paulo em Filipenses 3:20:

“A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente um Salvador, o Senhor Jesus Cristo”.

Não podemos ser apegados a essa vida frágil, por mais acostumados que possamos estar. Nascemos como mortais e pecadores neste lugar de passagem, mas a busca pelo céu deve ser nossa motivação. Acredito que tal apego se deve a rotina, e ao fato de não conhecer mais nada além dessa vida. Conhecemos o que ouvimos, vemos e vivenciamos, talvez este seja o ponto crucial: Precisamos viver Cristo. Precisamos viver o Céu.
Em 1 João 2:15-17

“Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele.
Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo.
O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre”.

Qual tem sido sua real motivação de vida? Não falo que fazer planos como casar, ter filhos ou construir uma carreira devem ser descartados, mas que possamos entender que isto é apenas algo passageiro, e que nosso amor, nosso apego e pensamento mais profundo deve sempre estar nas coisas do céu, pois será nossa morada eterna.

“Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus.” (Colossenses 3.1-3)

Depois de refletir, ponderar, eu pedi a Deus que tirasse tudo que pudesse ser obstáculo entre este desejo de viver a eternidade e minha passageira vida na Terra.
Em 1 João 4:18 diz:

“No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor”.

Minha constante oração é esta, que o amor possa ser o combustível que me guie até o céu. Que Cristo me impulsione a sonhar sonhos eternos e não apenas as efêmeras coisas do mundo. Peço todos os dias que aumente a minha fé, e que me abasteça com os frutos do Espírito para que anseie pelo céu, mais que pelo ar que respiro, pois este sim deve ser nosso real apego.
Terminei ouvindo uma linda e profunda canção da Marcela Taís. Que esta mensagem possa ser tão reflexiva e verdadeira como foi pra mim. E lembrem-se:

"Quanto ao dia e à hora ninguém sabe, nem os anjos no céu, nem o Filho, senão somente o Pai. Fiquem atentos! Vigiem! Vocês não sabem quando virá esse tempo”. (Marcos 13:32,33)


 Voar 
 Marcela Taís
  
Estou longe de casa há tanto tempo
E com o tempo se aprende
Tão inútil é o orgulho
Passageiro é o mundo

E que importância tem os medos
Se serão irrelevantes com o tempo?
Viver é só um ensaio de uma vida eterna
Nesta vida eu nada ganho, meu vazio é do teu tamanho

Eu só queria voar, tudo pra trás deixar
Eu só queria voar, tudo pra trás deixar

Saudade do que nunca vi
Vontade do que nunca senti
Por que pararam de falar do céu?
Estamos pensando muito nesta vida daqui

Você não me deu asas pois sabia
Que aqui eu não iria ficar
Ao conhecer as coisas lá do alto
Pra Terra não sequer mais olhar

Eu só queria voar, tudo pra trás deixar
Eu só queria voar, tudo pra trás deixar

Só você sabe cuidar tão bem de mim
Só você me amará tão bem assim
Só você sabe cuidar tão bem de mim
Só você me amará tão bem assim

Anjos cantem mais alto pra minha alma escutar
Ela veio do Céu e de saudade quer voltar
Anjos cantem mais alto pra minha alma escutar
Ela veio do Céu e de saudade quer voltar

Quer voltar, quer voltar, quer voltar, quer voltar
Quer voar, quer voar, quer voar, quer voar
Quer voar, quer voar, quer voar, quer voar
Quer voar, quer voar, quer voar, quer voltar



Lays Caminha


Nós te recomendamos essas leituras

0 comentários